Sobre as cartas

Sem título
  As cartas são para alguém e para ninguém. São para elas e para você — talvez até para mim. Elas devem ser lidas — devem ser esquecidas. Devem ser amadas; e logo depois odiadas. As Cartas são tudo o que tenho. Feitas para cuidar daquelas que amo, mas estão longe de mim. As Cartas são as palavras que vivo tentando dizer em voz alta, mas travam batalhas internas comigo. As Cartas sou eu. Eu sou as Cartas.   E elas têm tanto de mim que é quase impossível acreditar.